pilates tecido

Atualmente os adolescentes permanecem longos períodos sentados em frente da TV ou computador, quase sempre, sentados de maneira incorreta, deixando de lado a prática da atividade física, tão importante nesta fase. Consequentemente acabam gerando desajustes posturais, sendo suscetíveis ao desenvolvimento de escolioses, cifoses e outras patologias relacionadas à coluna, dores musculares e diminuição da flexibilidade.

É nesta fase que o corpo reage mais rápido aos estímulos da atividade física, trazendo diversos benefícios, principalmente preventivos, além de evitar o sedentarismo e melhora na autoestima. Esta fase também é marcada pelo crescimento acelerado do corpo, gerando desequilíbrios musculares. Por isso, é comum ouvir os adolescentes reclamando de dores nas costas  e nas articulações.

O Pilates é uma excelente escolha como atividade física, os movimentos são lentos, reduzindo as chances de lesões, além de trabalhar melhora na concentração, consciência corporal, ganho de flexibilidade, força muscular e significativa melhora na postura. O Pilates trabalha vários músculos ao mesmo tempo, estimulando a coordenação motora dos jovens. Além disso, o método desenvolve a capacidade respiratória e a concentração do praticante, o que ajuda no desempenho atlético e intelectual. Quanto mais cedo se inicia o trabalho de alongamento e fortalecimento da musculatura e correção postural, maiores serão as perspectivas de melhora na qualidade de vida. Pode-se começar a praticar o Pilates a partir dos 8 anos de idade, sem contraindicações e com grandes resultados. Porém, o Pilates deve ser aplicado por profissionais capacitados, pois somente com a correta aplicação da técnica e conhecimento dos mecanismos funcionais do corpo, é que a prática do método resultará em seus benefícios.

Ao criar seu método, Joseph Pilates objetivava um trabalho de condicionamento muscular (força, flexibilidade e resistência), estabilidade do centro do corpo(enfatizando a cintura pélvica e escapular), o alinhamento corporal e a respiração, atendendo todas as idades. Hoje, este é o perfil dos jovens: crescimento acelerado que ocasiona dores; desajustes posturais ocasionados por motivos diversos, e ocasional sedentarismo, que contribuem para o encurtamento muscular. Mas também existem adolescentes que encontram no Pilates a oportunidade de aperfeiçoar sua técnica como bailarinas, nadadores, ciclistas, ou na fase de reabilitação de lesões ortopédicas.

Outro benefício do Pilates ao adolescente, é a melhora na autoestima, pois as práticas possibilitam que o jovem sinta um domínio maior sobre seu corpo, vivencie melhoras físicas e, psicologicamente, permite maior afirmação perante o meio social. É importante que o instrutor esteja ciente do seu papel e dos procedimentos que devem ser seguidos para o bom andamento do trabalho e para que o feedback com o aluno seja interessante para conhecermos os gostos do aluno, entendermos suas preferências, inclusive sobre os aparelhos, acessórios e exercícios, e tentar proporcionar um ambiente agradável, que os deixe confortáveis.

Portanto, fica evidente que praticar Pilates na adolescência pode ser uma ótima ideia, pois ele trata de estímulos que adaptam de uma forma ativa o corpo a uma boa postura.

Fabiana Alchini – Fisioterapeuta