Estrias

As estrias são o rompimento das fibras elásticas na camada intermediária da pele, onde estão situadas as fibras de colágeno e elastina. Essas fibras são responsáveis pela elasticidade e tonicidade do tecido. Ou seja, quando a pele se estende (seja por alteração hormonal, gravidez ou obesidade) ela tende a romper as fibras elásticas do local. Para conter este rompimento, o organismo cicatriza aquele local. Assim, dá-se a estria.

As mulheres são o grupo que mais sofre com essa ruptura das fibras de colágeno, seja na adolescência, durante a gravidez ou em decorrência do efeito sanfona. Gestações após os 30 anos, porém, costumam ter uma menor incidência.

Há uma questão genética e hormonal envolvida no aparecimento das estrias. As lineares e mais finas respondem melhor aos tratamentos. Já as “rendadas”, muito comuns em pessoas de pele negra, são difíceis de amenizar.

Tipos de estrias

A estria vermelha significa a fase inicial e inflamatória do problema, responde melhor aos tratamentos. Nessa fase as células têm mais capacidade de regeneração e quando é tratada a tempo, a melhora é de quase 100%. No estágio seguinte, que deixa as linhas arroxeadas, a melhora é de 70%. O laser trata todos os tipos de estrias, mas as brancas, mais antigas, só reduzem de tamanho, e se tornam menos visíveis, desaparecer é praticamente impossível. A estria vermelha tem a hemoglobina para ser o alvo da luz do laser, que ao penetrar na pele aquece os vasos sanguíneos e estimula o nascimento de fibras de colágeno.

estrias vermelhas

Estria vermelha

Já a estria branca, é considerada cicatrizes e não há mais processo inflamatório. Nesse caso, para melhorar a aparência e preencher as depressões, é preciso estimular novas fibras de colágeno.

Estrias brancas

Estria branca

Como prevenir as estrias

Evitar roupas apertadas é uma maneira de evitar estrias. A prática de exercícios físicos regularmente, evitar engordar e emagrecer repentinamente e a preferência por alimentos saudáveis são fundamentais para evitar estrias. Situações como gravidez, dietas, períodos de estresse propiciam o aparecimento das estrias.

 

Tratamentos

A carboxiterapia é um dos procedimentos mais indicados para o tratamento de estrias, desde as mais recentes (vermelhas) até as mais antigas (brancas). Baseado na aplicação de gás carbônico, esse procedimento causa inflamação dentro dessas “cicatrizes”, seguida da formação de “casquinha” que acaba por afinar essas marcas, além de contribuir para produção de colágeno que fortalece o tecido da pele.

A radiofreqüência também pode ser considerada um tratamento preventivo contra as estrias, pois estimula a produção de colágeno.

O peeling de diamante é uma técnica de esfoliação que utiliza uma ponteira de diamante para incentivar a renovação celular; também contribui para a produção de colágeno, além de tratar estrias superficiais e melhorar a sua aparência.

Já o peeling químico tem como objetivo promover uma verdadeira troca de pele através da descamação do tecido epidérmico. Baseado na aplicação de substâncias químicas sobre a pele, esse procedimento gera resultados incríveis, e também é indicado para atenuar as marcas de cicatrizes de acne e de rugas superficiais e profundas.

A radiofreqüência e a luz intensa pulsada têm o mesmo objetivo: aquecer o tecido mais profundo a fim de produzir colágeno e elastina, que dão firmeza e sustentação à pele, afinar estrias e deixá-las próximo ao tom da pele do paciente.

O tratamento a Laser é bem moderno para a redução das estrias. Os tipos de lasers utilizados para o tratamento de estrias têm afinidade pela água da pele e, ao atingir a pele, promovem a sua vaporização localizada. Isso estimula uma nova organização desse tecido, com formação de novas fibras de colágeno e elastina.

 

Fisioterapeuta: Karla Accordi